domingo, 24 de outubro de 2010

Pelé não desperta entre os brasileiros um terço da devoção que Maradona desperta entre os argentinos

Pelé ao lado do ditador Médici

Pelé ao lado de um aspirante a ditador contemporâneo



Pelé está fazendo setenta anos e quem comemora é a mídia, o povo brasileiro está pouco se lixando para o "Rei" do futebol. Atleta do século, craque de mais de mil gols, popular no mundo todo; maior jogador de todos os tempos. Nada disso é suficiente para atrair amor e devoção por parte dos brasileiros. Pelé tem mais moral no exterior que em seu próprio país. Nem na torcida Santos  é unanimidade. 

Por que isso?

Será por que Pelé sempre esteve do lado dos poderosos?

Apoiou de forma entusiasmada a Ditadura e vivia puxando o saco dos generais de plantão.

Em entrevista nos anos setenta, disse que o povo brasileiro "não estava preparado para votar", endossando o regime autoritário e anti-democrático.

Nunca disse uma palavra em favor do movimento negro, e só foi visto com mulheres loiras, em colunas sociais.

Nunca disse uma palavra em favor dos movimentos populares, e sempre demonstrou simpatia por políticos de direita e anti-povo, como FHC.

Sempre demonstrou grande simpatia pelos EUA, já pelos países subdesenvolvidos, seu apoio se limitou a partidas comemorativas e excursões muito bem pagas.

Como não poderia deixar de ser, puxa o saco da Rede Globo e é parceirão de Galvão Bueno, o traste que se acha o dono da seleção brasileira.

Pelé é aquilo que se costuma chamar "negro de alma branca", cedo aburguesou-se, e como todo elitista que se preze, quer distância do povo.

Maradona é a antítese de Pelé, está do lado das classes populares, tem orgulho de ser latinoamericano. Tem seus defeitos e deu suas mancadas, mas sempre se apresentou como um ser humano, sujeito a falhas. Como não faz média para mídia corporativa, e não tem boas relações com os poderosos de seu país, é perseguido pelo PIG de sua pátria. Já Pelé...

Pelé não desperta um terço da devoção que é dirigida ao craque argentino. Enquanto o camisa 10 portenho é visto com uma entidade por seus compatriotas, o brasileiro é apenas rosto que aparece em comerciais de televisão. Nem como comentarista futebolístico deu certo. 

Enfim, Maradona é o herói das classes populares da América Latina, enquanto Pelé é só um garoto propaganda empresarial. 

PS: Com a bola no pé, Pelé foi melhor que Maradona, sem dúvida.  


  




7 comentários:

  1. É isso meu caro Cappacete! Pelé é, infelizmente, menino propaganda da elite de direita. Fez questão de se distanciar de suas origens, e nada tem a ver com nosso povo. Pra cima deles! Beijos.

    ResponderExcluir
  2. seria por ele ser arrogante e preconceituoso.

    ResponderExcluir
  3. João Paulo Ferreira de Assis24 de outubro de 2010 15:52

    Sem dúvida que Pelé foi o melhor. Mas se fizessem uma votação para escolher o melhor futebolista do Mundo entre Pelé e Maradona, daria meu voto ao argentino. Pois se eu como cidadão brasileiro não sei votar, então não dou meu voto a Pelé.

    ResponderExcluir
  4. falou tudo e mais um pouco cappacete!essa mídia brasileira acima de tudo é HIPOCRITA!aqui na"pelada"entre sport e náutico pelo brasileiro da 2a divisão,o babaca do narrador disse:no intervalo uma homenagem ao"Rei Pelé".desliguei a tv!na"REDETV"outro babaca(Augusto Xavier)disse o mesmo.eu,cidadão brasileiro q não sei votar,desprezo esse senhor!

    ResponderExcluir
  5. pois eu sei votar, e daria meu voto a Garrincha

    ResponderExcluir
  6. Em minha última viagem a Buenos Aires eu conversei com um argentino exatamente sobre este assunto.
    Maradona é uma figura amada pelos argentinos e nnao é possível se andar pela cidade sem ver centenas de camisetas, chaveiros, canecas e uma infinidade de souvenirs com a sua imagem.
    Os argentinos acreditam que Pelé é tratado no Brasil da mesma maneira.

    http://metalcadente.blogspot.com/2010/10/o-bobo-da-corte.html

    ResponderExcluir
  7. Porque o Pelé é como o Serra... até tenta ser agradável, mas não consegue, tá no sangue. O cara é elitista, está distante do povo.

    ResponderExcluir