terça-feira, 9 de novembro de 2010

ARNALDO JABOR TEM SEU DIA DE "LULA" – APANHA DA FOLHA, DA VEJA, E NÃO SUPORTA A CRÍTICA.

A suprema infelicidade de se sentir ofendido e injustiçado.



Jabor é um lixo como diretor de cinema, 
colunista, e ser humano.


Do Blog 007BONDeblog

Parece que o filme “A suprema felicidade” está se tornando a suprema decepção e inconformidade do seu autor Arnaldo Jabor com a crítica especializada.

A patética pergunta (Quem tem razão? A crítica ou o público?) do subtítulo de seu artigo de hoje em O Globo (Patrulhas ideológicas) dá bem a dimensão da maneira como Jabor reagiu mal à avaliação dos críticos de cinema ao seu trabalho.

Os críticos da “Folha” e da “Veja” disseram que o filme é “sem foco”, “acaba de repente”, e ainda que Jabor não é mais cineasta. Segundo Jabor, picharam, e falaram mal de seu trabalho.

E aí, o vivido Jabor não consegue entender, como um filme que já foi assistido por 180 mil pessoas, e algumas delas lhe enviaram até e-mail elogiando, é tratado assim, na base da “porrada”, como lixo, como se não tivesse nada de bom. Será que esse povo que elogia o filme é um bando de idiotas ? Ou será que a razão está com os minguados críticos, e aí, em palavras minhas, uns três ou quatro que cabem dentro de um fusca ?

E Jabor parte para o ataque aos seus críticos, rotula a eles de patrulheiros ideológicos e os acusa de invejosos, e de exercerem a crítica de forma “desonesta”, por inveja de alguém (dele) que é sucesso, no rádio e nos jornais.......

Jabor desaprendeu de ser vidraça, faz tempo que ele é pedra, e nas suas análises políticas sobre o governo Lula, ele foi sempre cruel, como ativo membro da patrulha da oposição. Jabor esqueceu que ele sempre rotulou de analfabetos, ignorantes, otários, os 97% dos brasileiros que dão ao governo Lula aprovação entre regular e ótimo, Jabor sempre fez parte dos 3% que se acham os “críticos sabidos e inteligentes”, os que cabem dentro do fusca e são os brasileiros que conhecem o que é bom para o Brasil. Jabor nunca reclamou da Folha nem da Veja, quando elas esculacharam Lula, o PT e Dilma Rousseff, aí Jabor gostou, aplaudiu e ajudou a “bater”.

Quando Lula reclamou de que parte da Imprensa só criticava seu governo, sem ver nada de bom nele, Jabor enxergou nisso uma “ameaça a liberdade de expressão e de imprensa”. Jabor, a imprensa e os críticos são livres para achar que seu filma é uma droga, é um direito deles dizer isso, respeite a opinião dos que assistiram e não gostaram.

Quem semeia vento, colhe tempestade. Quem com ódio, preconceito, má vontade, “Folha e Veja” fere, com isso e com muito mais, acabara sendo ferido.

8 comentários:

  1. Nada como um dia após o outro rs

    ResponderExcluir
  2. Isso sem falar que ele bateu sem piedade no filme do Lula, escrachando o Fabio Barreto e torcendo pelo fracasso de bilheteria. a) Bruno Ribeiro

    ResponderExcluir
  3. Jabor tem uma raiva inrustida dentro do coração, não sei por quê. Transfere esse sentimento nos seus comentários. Acho triste.

    ResponderExcluir
  4. Agora ele sabe onde dói o calo! Adorei isso, principalmente a parte do fusca!
    Hahahahahahaha

    ResponderExcluir
  5. Chupa essa manguinha neném...

    ResponderExcluir
  6. Mais vale um analfabeto bem-intencionado na Presidência que um cineasta safado seduzindo nossa débil imprensa! Jabor é pena alugada, é um dinossauro num parque de diversões. Jabor rima com enrolador, enganador, ma-ni-pu-la-dor! Fora, Arnaldinho. Seu tempo esgotou!

    ResponderExcluir
  7. Jabor, é um filhote da globo,um preconceituoso .um nada.

    ResponderExcluir