sábado, 6 de novembro de 2010

Ah, essas privatizações! E agora, Goldman? Artista não é bobo.

Do Blog Não te calas, educador!



 
Em 2008 a ULM foi dissolvida e transformada em uma nova instituição (EMESP), que até o presente momento não apresentou um projeto pedagógico à altura do que a antiga instituição oferecia. 

Havia uma Instituição (Universidade Livre de Música - Tom Jobim) que tinha um compromisso com a sociedade, que possuía um plano pedagógico estruturado, sendo reconhecida pela qualidade do ensino de música em todo o país e até no exterior. Sua função básica era prover os cidadãos, DE TODAS AS IDADES (com algum ou nenhum conhecimento musical), gratuitamente, de conhecimentosmusicais e formação instrumental (popular e erudita) em nível profissional. No entanto, quando a Organização Social Santa Marcelina Cultura assumiu a administração, houve uma promessa de que a estrutura pedagógica da escola seria mantida, e que a direção jamais ousaria mexer no perfil de uma instituição como a ULM. Porém, o que de fato aconteceu foi que a ULM foi “FECHADA” e outra escola fora aberta em seu lugar, desrespeitando os direitos básicos dos alunos, que esperavam ver concluídas as disciplinas que estavam cursando e assim obter um certificado de conclusão, embora não acadêmico, possuía e ainda possui amplo respeito dentro do mercado de trabalho de música.

PRINCIPAL IMPLICÂNCIA DESTA E DE OUTRAS ATITUDES RELATADAS ABAIXO, FOI UM GRANDE AFASTAMENTO DE ALUNOS DA ESCOLA

 - Falta de coordenação completa da grade curricular da escola e má distribuição dos horários, obrigando os alunos a se deslocarem inúmeras vezes no decorrer da semana, ou no mesmo dia para cumprir as disciplinas;
- Classificação dos alunos nos ciclos por idade e não pelo conhecimento musical, resultando em salas de aulas formadas por alunos com níveis diferentes de percepção, teoria e outras disciplinas como: história da música e harmonia, causando desgaste nos professores e desmotivação nos alunos;
- Falta de uma grade curricular estruturada, de modo que as disciplinas não apresentam planejamento e continuidade;
- Redução, no início do ano, da carga horária dos professores;
- Falta de clareza na passagem de informações para os alunos e burocratização exagerada para todos os procedimentos internos;
- Ninguém sabe ao certo quem são as pessoas que estão administrando a escola, a toda hora os cargos são ocupados por outras pessoas e não é informado isso oficialmente aos alunos (Ex. saída dos coordenadores, Sílvio Ferraz, Graziela Bortz e Emiliano Patarra)
- Entre outras medidas da direção que ainda podem nos pegar de surpresa.


 Para o próximo ano, mais medidas prejudiciais aos alunos, professores e a sociedade:


  1. Tomamos conhecimento de que há indícios de novas diretrizes pedagógicas as quais compelem, compulsoriamente, os alunos adultos a ingressarem no curso preparatório para o 4º ciclo, que, por sua vez, dependerá de processo seletivo, e quanto ao 4º ciclo, este terá caráter prático e avançado que não corresponde a demanda da maioria dos alunos adultos que procuram a escola (na ULM as vagas para os alunos adultos eram oferecidas para os níveis Básico / Intermediário / Avançado) contemplando todos os adultos que queriam estudar música;
  2. Devido ao corte de aproximadamente 50% no quadro de professores (que está previsto já para o fim deste ano), nossas aulas de instrumento passarão a ser coletivas;
  3. Extinção do curso de pré-formação, alunos só poderão entrar na escola acima dos 10 anos;
  4. A unidade do Brooklin será destinada somente para alunos até o 3º ciclo (entre 16 e 21 anos), portanto os alunos adultos aprovados no processo seletivo terão que estudar na unidade Luz;
Obs: Estas informações sobre o próximo ano, por enquanto, não foram obtidas por nós oficialmente, entretanto, estão prestes a se concretizar.

Para mudarmos esta triste realidade podemos e devemos comparecer, impreterivelmente, no dia 09/11/10 na Assembléia Legislativa, conforme segue abaixo:

__________________________________________________
 


AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE A EMESP (antiga ULM)


Data:
Terça-feira 09/ Novembro / 2010
Horário:
19:00h




Local:
Auditório Teotônio Vilela - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Rua:
Av. Pedro Álvares Cabral, 201 - Ibirapuera
Cidade/Estado:
São Paulo - SP




Audiência Pública para informar a sociedade sobre todas as
irregularidades que ocorreram e estão ocorrendo na EMESP desde que a Organização Social Santa Marcelina Cultura assumiu a administração da ULM no início de 2009.

É IMPORTANTÍSSIMO A PRESENÇA DE TODOS OS ALUNOS, 
EX-ALUNOS, EX-PROFESSORES, PAIS DE ALUNOS, CLASSE MUSICAL E ARTÍSTICA E TODA A SOCIEDADE.

VAMOS DEFENDER a Universidade LIVRE de Música – TOM JOBIM !!!

PARA QUE A ESCOLA VOLTE A SER REFERÊNCIA DE ENSINO MUSICAL NO BRASIL,
NÃO PRECISAMOS DE MODELOS DE ESCOLAS DO EXTERIOR
JÁ TEMOS O NOSSO MODELO BRASILEIRO HÁ VINTE ANOS.

Movimento 

AGORA EU VOU FALAR 

LUTO PELA ULM !!!




Solicitante: Dep. Estadual Carlos Giannazi 

informações: alunostomjobim@gmail.com

Liga dos alunos da Tom Jobim




4 comentários:

  1. Possibilidade de Anulação e Abstenções - ENEM 2010
    Analise geral do sábado, uma hipótese e uma notícia. Por Leandro da Silva.
    http://tinyurl.com/anulaenem2010

    ResponderExcluir
  2. quem avisou amigo era6 de novembro de 2010 20:43

    votaram no chuchu?agora aguenta paulistada...e sem reclamar.16 anos não foi suficiente para aprender?

    ResponderExcluir
  3. Cappacete, parabéns pela mobilização. Estava tentando saber dados sobre a manifestação e foi incrível como demorei para encontrar, ninguém (exceto vc) está falando nada... Somente aqui a divulgação foi completa. Tomei a liberdade de copiar (dando o devido crédito) e divulgar nas redes sociais às quais pertenço. um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Ao Blog do Cappacete,
    Informamos que a Tom Jobim EMESP está esclarecendo diversos pontos citados neste post no link: http://www.emesp.org.br/pt/secao1/240/3/3/Diretrizes-Pedagogicas/

    ResponderExcluir