quinta-feira, 21 de março de 2013

Câmara de São Paulo homenageará matadores da OBAN por ações na ditadura militar. Decreto legislativo é do vereador coronel Telhada (PSDB). Olha o golpe aí!


A extrema-direita está contando as horas, enquanto isso, a presidenta Dilma fecha com a burguesia e seus porta-vozes. Quem se levantará para defender esse governo quando o golpe vier? Quanto a câmara dos vereadores de São Paulo, nada de novo. Entre essa gente o espírito de 13 de dezembro de 1968 permaneceu intacto. No mais, a ditadura nunca acabou nos bairros periféricos deste estado.  

Pragmatismo Político

rota ditadura homenagem câmara spA Câmara de São Paulo aprovou a concessão da Salva de Prata — homenagem da Casa cedida em sessão solene pelos relevantes serviços prestados a sociedade – ao batalhão das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota).

O projeto de decreto legislativo 02-00006/2013, de autoria do vereador coronel Telhada (PSDB), justifica a homenagem, dentre outras coisas, pelas “campanhas de guerra”, como os feitos da companhia chamada Boinas Negras que atuou durante a ditadura militar perseguindo guerrilheiros da esquerda como Carlos Lamarca e Carlos Marighella.

Câmara de São Paulo homenageará ROTA por ações na ditadura militar. Projeto é do vereador coronel Telhada (PSDB).

Na justificativa, Telhada diz que a Rota se destacou no que a Polícia Militar chama de campanha do Vale do Rio Ribeira do Iguape, em 1970, “para sufocar a Guerrilha Rural instituída por Carlos Lamarca”.

O texto de Telhada aprovado pelos vereadores, retirado do portal da PM, também conta a história da origem dos Boinas Negras.

A sessão em que será feita a homenagem ainda não tem data marcada.

Abaixo, uma amostra dos "bons serviços" prestados pela Rota e afins.










Um comentário:

  1. Parabens pela estrutura e conteudo de seu blog, estou compartilhando aqui, Forte abraço camiseta

    ResponderExcluir